A.·. A.·.
Menu » Probacionista » Ensaios » Therion
A+-
Probacionista

ensaios dos membros - therion

Compreensão

A natureza do Conhecimento (a culminação e etase as faculdades intelectuais) foi discutida no ensaio prévio. Implica uma contradição em termos. Compreensão é a resolução desta atinomia. É a principal qualidade de Nechama, a Inteligência - uma idéia insuscetível de verdadeira definição, porque é supraracional e só pode ser apreciada por experiência direta. Podemos dizer, quanto muito, que independe de qualquer das atividades normais da mente.

(É uma significativa ilustração da verdade desta teoria cabalística que as mulheres com frequencia possuem a mais excelente Inteligência, enquanto totalmente incapazes do Conhecimento e Razão sobre os quais, logicamente, essa Inteligência deveria estar fundada.)

Samadi, a princípio, produzindo um Êxtase atordoante, finaliza nesta Compreensão; podemos dizer, portanto, que Compreensão implica uma certa qualidade Samádica de percepção. Talvez a Dualidade não seja absolutamente abolida salvo na super-estrutura daquele estado; mas assume uma forma que seria absurdo chamarmos dualística.

(O leitor notará que todo verdadeiro esforço por comunicar esta concepção exige violação da lógica)

Este fato é raiz de todo simbolismo triunitário; o esquema é geométrico em idéia e até aritimético, como demonstrado pela atribuição de Binah ao número 3. Mas a solução de toda díade em uma Tríade Triuna é enganadora, se a intenção é interpretar o fenômeno me termos de intelecto só é útil na medida em que o emprego deste processo treina as faculdades de raciocínio a se superarem a si mesmas em que um sublime suicídio sobre o Altar da Intuição Mística - se bem que isto, afinal de contas, é uma pálida imitação do correto processo. Pois em primeiro lugar, não é científico em método e em segundo lugar, é falso em que nega a sua própria validade.

O único processo correto e adequado de Consecução da Compreensão consiste em silenciarmos e inibirmos por completo a mente racional, assim deixandom uma tabula rasa sobre a qual a facultade inteiramente alienígena - de novo e sui generis - pode escrever sua primeira palavra.

Mas então (seguramente será dito) o que há de mais ininteligente do que esta suposta Inteligência? Este informe e mesmo delirante êxtase que varre todas as formas de pensamento? Nenhum homem em seu juizo perfeito negaria esta premissa, mas a explicação é que esse Êxtase é, por assim dizer, a convulsão do Nascimento de uma nova faculdade. Certamente é natural que um observador se surpreenda, por um momento, com a descoberta de um novo Universo. Ananda deve ser dominado por completo e não exagerado a ponto de se tornar um vício, à maneira do místico! Samadi deve ser clarificado por Sila, pela severa atitude de controle e então percebemos o paradoxo de que a Nova Lei da mente veio "não para destruir, mas para cumprir" a antiga. A compreensão se assenhora por completo de todo aquele casto material com o qual a Razão foi imcapaz de armar qualquer estrutura coerente. As contradições desaparecem por absorção; foram aceitas como fatores essênciais à natureza da Verdade, que sem elas seria um mero amontoado de fatos.

Tornar-se-á claro de todas as considerações que não necessitamos sentir surpresa diante deste primordial paradoxo, que o Cepticismo, absoluto e toda dimensão, é a única fase possível da verdadeira Consecução. Toda tentativa de evadir a necessidade de experiência direta apelando para a "fé" ou para imponentes teologismos ou para qualquer outra variedade espiritual dos truques do ilusionista está, de antemão, condenada à destruição mais abjeta.

Nós não podemos "encontrar a Dama" por qualquer outro caminho do que aquele do Cavaleiro Andante, do Grande Todo - o caminho da Águia no Ar - cujo Número Sagrado é o Sagrado Aéreo. Sim, també, Nada é Tudo e Tudo sendo Pan, a única maneira correta de nos dirigirmos à Divindade é na forma dual de .

Pois tudo deve ser destruído para que Tudo possa nascer.

Pequenos Ensaios em Direção a Verdade.
Traduzido por Frater Adjuvo



topo